terça-feira, 18 de julho de 2017

Sarau Palavra Falada no Café do Margs - 28/06/2017

Sarau Palavra Falada no Café do Margs - 28/06/2017


A edição de junho do Sarau da Palavra Falada no Café do MARGS teve como convidada a jornalista e escritora Priscila Pasko. Foi no dia 28 passado.
Priscila é responsável pelo blogue Veredas, no saite Nonada, onde ela divulga a literatura produzida por mulheres, desde 2015.
Ao contrário de outros saraus que presenciei, Priscila se dedicou à leitura de contos, mais longos ou mais curtos. Ela leu, por exemplo, Marilene Felinto e Clarice Lispector.
A escritora Ana Mello, promotora do sarau, leu texto de Laís Schaff, e poema de Dênia Bazanella.
Participaram ainda das leituras o escritor Tiago Pedroso, com textos de Vanessa Cons, e da própria Ana Mello. O escritor Djalma Filho leu poemas de sua própria lavra.
Houve ainda um jovem cujo nome não consegui registrar que leu um texto feminista do final de século XIX.
A desenvoltura de Priscila Pasko fez com que o sarau fluisse. Cerca de vinte pessoas estiveram presentes.

.


.

.

.

.

.
18/07/2017.

terça-feira, 4 de julho de 2017

In vino veritas?


In vino veritas?

"In vino veritas" é uma expressão latina que significa que "no vinho (está) a verdade", querendo dizer que o álcool é capaz de fazer a pessoa expressar seus sentimentos mais escondidos.
O vinho é uma bebida apreciada desde a Antiguidade, e nos últimos anos se tornou motivo de assunto, já que há tanta variedade no mercado.
Como há muita variedade, é possível continuamente experimentar, sem nunca repetir uma marca ou rótulo.
Como tenho apreciado um pouco, só um pouco, os vinhos, e há tanta variedade, resolvi registrar aqui os que eu repetiria. Na verdade, até agora bem poucos.
Não que eu queira dizer que tais vinhos são os melhores, ou tenham sabores imperdíveis. De fato, não tenho esse refinamento.
Aqui haverá apenas o registro do que gostei muito.
Sempre apreciando com moderação como dizem.
A propósito, dizem que o ditado completo é "in vino veritas, in aqua sanitas" - "no vinho a verdade, na água a saúde". Isso aí.


31/05/2017.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Diário - cinema - Moonlight: Sob a luz do luar


Diário - cinema - Moonlight: Sob a luz do luar

Sobre o filme "Moonlight: Sob a luz do luar" ("Moonlight", Estados Unidos, 2016), vale a sinopse apresentada no verbete equivalente da Wikipédia, "o filme apresenta três etapas na vida de Chiron, o personagem principal, explorando as dificuldades que ele enfrenta no processo de reconhecimento de sua própria identidade e sexualidade, e o abuso físico e emocional que recebe ao longo destas transformações."
De fato, sobre uma realidade dura, sai uma vida endurecida, mas que nem por isso deixa de ter seus traumas e sua sensibilidade. E o filme é capaz de nos levar numa jornada para trazer empatia a esse homem, que de fato se tornou um gângster, mas sofreu um bocado até chegar à idade adulta. Por sinal, na idade adulta ainda sofre. Como todo ser humano, a propósito.
Um drama que acabou ganhando o Oscar de melhor filme de 2016, num momento bem atrapalhado da cerimônia.


31/05/2017.